18 de julho de 2016

[MAINFRAME]


[MAINFRAME]

Android
De Jordi Gené e Gregorio Morales
2-4 jogadores — 30min — 14+

Mais novo lançamento da Fantasy Flight Games, baseado no universo Android.

Se trata de um jogo totalmente abstrato, onde jogam cartas para ir colocando peças (Pontos de Acesso) no tabuleiro, e também palitinhos (Partições) para se fechar uma área que seja exclusivamente de um único jogador. O jogador que dominar a maior área do tabuleiro vence.

A bela idéia foi jogar uma roupagem Cyberpunk, futurista, do universo Android, e voilà, criou-se uma guerra entre Runners invadindo um Mainframe, espalhando nos nodos seus pontos de acessos, e particionando o Mainframe em áreas exclusivas suas, expulsando outros Runners.

COMPONENTES

O jogo tem 6 decks de Programas Exclusivos, um para cada personagem, e cada deck desses tem 5 cartas, sendo que cada jogador pega um único personagem, e recebe no início do jogo apenas 3 cartas para a partida inteira.






Há um deck de Programas Comuns (genérico) a todos os jogadores, que fica numa pilha fechada, e sempre fica aberta 4 cartas, à disposição de todos jogadores.

Começa o jogo cada jogador a partir do primeiro, colocando um token de seu personagem (Ponto de Acesso), em qualquer nódulo do tabuleiro.

SEQUÊNCIA DE JOGO

Depois, na ordem de jogada, cada jogador faz sua única ação que consiste em:

A) ou joga e executa uma das cartas de sua mão (programas exclusivos);

B) ou escolhe uma das 4 cartas abertas de programas Genéricos e a executa;

C) ou descarta a carta do topo do deck de Programas Genérico e coloca um de seus tokens de Ponto de Acesso (com o lado do rosto do personagem para cima), em qualquer nódulo vazio, e fora de uma Zona Segura (área fechada e exclusiva de um único jogador).

O maior objetivo do jogo é este: criar ZONAS SEGURAS. Ou seja cercar uma maior área possível com os palitinhos (partições), que dentro dela esteja apenas peças (pontos de acesso) sua.

Quando isso ocorre, seu token de Ponto de Acesso é virado para o lado de seu símbolo, e aquela região é intocada.

Nenhuma carta tem mais poder sobre esta Zona Segura. Nem entra nem sai mais nada de lá, nem se pode rearanjar sua área.

FIM DE JOGO

O jogo vai seguindo até:

A) nenhuma carta de programa puder ser executada;

B) ou o deck de cartas de programas Genérico se esgotar, cada outro jogadores terão mais um turno e o jogo termina, e segue a pontuação.

A pontuação final é feita por cada token dentro de uma Zona Segura, multiplicado pelo tamanho da área (Zona) em que ele se encontra.

Em caso de empate, o critério de desempate é quem tiver com mais Zonas Seguras dentre os empatados. Se continuar empatados, o outro critério é quem tiver a Maior Zona Segura. E por aí vai...

CONCLUSÃO

O jogo é o mais simples de todos já lançados por esta franquia. Quando falo de simplicidade, não confundam com jogo bobo, ou sem graça.

Tenho o Android boardgame, o primeiro e mais complexo, o Android Netrunner cardgame, e o Infiltration, mas o Mainframe é daqueles jogos estilo Damas, Abalone, etc.

O jogo serve muito bem para partidas rápidas, e muito tática. Ele ficará no rol, junto com o Neuroshima Hex!

Nota do jogo: 7.8

Nenhum comentário: